A psicoterapia precisa ser paga?

Porque é essencial pagar terapia?

Depois de muitos anos trabalhando ainda caímos em ciladas profissionais. Eu gostaria de compartilhar um dos meus erros. Uma vez um parente muito próximo pediu que eu orientasse em relação ao seu filho viciado em drogas. Sou experiente nisto. Naturalmente que nem se cogitava pagamentos e honorários, pois seria estranho dizer que: “o preço da minha consulta é tanto...”. No entanto, eu me esmerei para ajudar e fazer uma excelente intervenção clínica, o que naturalmente foi um desastre.

Conversando com o pai eu lhe disse que seu filho usava drogas porque elas substituíam a força de um pai ausente (que no caso era ele), que seu filho sob efeito das drogas talvez se sentisse poderoso e forte “como o pai” que lhe faltava interiormente.

Esta intervenção caiu como uma bomba e provavelmente teria funcionado com um paciente estranho, mas o meu parente próximo não era paciente, e queria ser meu paciente e não se encaixaria no papel de meu paciente. Imediatamente ele se levantou contra mim e disse: “Olha. Se você não quer ajudar não ajude, mas eu não lhe dei liberdade para bisbilhotar a minha vida” e ficou de mal por alguns meses.

Vejam que ele pediu ajuda desde que eu não fizesse nada que o ajudasse. O problema era a falta de pai, mas ele não suportaria ouvir esta verdade. Por outro lado, quando eu aceitei ajudar é como se eu lhe disse: Eu aceito ajudá-lo para provar a minha incompetência, dizendo o que você não suportaria ouvir e ainda fique com raiva de mim.

Bem feito para mim! Eu tinha que ter dito não, por mais constrangedor que fosse, mas eu quis realmente ajudar, e isto me era completamente impossível. Lamentei a minha impotência e de fato percebi em mim mesmo que em psicoterapia nos é impossível ajudar pessoas próximas amigos e parentes.  É como no casamento onde você precisa buscar o seu parceiro entre os estranhos e que se casando com gente próxima, por exemplo irmãos, destas relações só pode nascer coisas estranhas e defeituosas e o resultado só pode ser ruim.

A psicoterapia precisa ser paga. Quando não é paga não funciona. Por esta razão as psicoterapias oferecidas por “convênios”, instituições, ongs, etc. são quase sempre ineficientes e aquelas que são ofertadas gratuitamente por programas sociais geralmente não surtem efeitos. Uma vez um dos mestres das psicoterapias se recusou a dar supervisão a alguém que lhe apresentou um caso clínico para tirar dúvidas em um processo de supervisão.

Quando disse o atendimento não teve honorários e não fora remunerado ele simplesmente se recusou a atender e lhe disse: “- Eu dou supervisão para psicoterapeutas e sessões de psicoterapia e isto que você traz não é psicoterapia. Não posso ajudar em nada”. Tanto eu como você estaríamos perdendo tempo e não ajudamos em nada, e o paciente também perdeu seu tempo porque não deve ter melhorado em nada... e estes, às vezes ainda saem falando mal dos profissionais, porque de fato não recebeu ajuda efetiva.

Mais tarde o mestre explicou que: “Quando o paciente não paga pela psicoterapia, ele não se sente digno merecedor da cura”.  Desequilibra o dar e o receber. Atender sem cobrar é desumano, porque faz com que o paciente perca seu tempo, e se o psicoterapeuta é desocupado, o paciente pode não ser.

Dentro deste paradigma, se uma pessoa quer fazer terapia de graça, seja em instituições, com parentes ou amigos terapeutas, se estas pessoas têm dificuldades para pagar e vive pedindo descontos, é melhor tomar cuidado porque você estaria diante de alguém miserável com ela mesma, que provavelmente não esteja afim de se curar e muito menos ser feliz.

Como sua psicoterapia não vai funcionar, ele poderá ser uma dessas pessoas que saem difamando o profissional talvez dizendo; “-Ele é ótimo, mas comigo não deu certo”.  E se fizer isto, pode ser que ele tenha razão. Se queremos de fato ajudar um paciente, esta ajuda precisa ser muito bem paga. Se um paciente quer ser ajudado, ele não tem dificuldades em remunerar o seu profissional, e ao final, ele não vai ficar mais pobre por isto, uma vez que a longo prazo uma boa terapia acaba saindo de graça porque ela se paga.

José Carlos Vitor Gomes, psic.
(19) 99191-5685

Ainda não existe comentários

Deixe uma resposta